12.1.12

Faltam 40 dias para...

... eu fazer 40 anos!!!!

E achei que seria uma boa oportunidade para eu vos contar alguns episódios de vida destes meus quase, quase 40 anos! O que acham?

Assim, sem qualquer ordem cronológica, nem compromisso diário, vou tentar contar 40 episódios (ou menos porque, nem eu terei tempo para contar tudo, nem vocês terão tempo de os ler...) passados na 1º pessoa e ao vivo! Se possível a cores, como o de hoje!



Quando tinha 14 anos, fui para Londres durante o Verão de 1986, passar um mês e meio, em casa de uma amiga dos meus pais. Para grande sorte minha, os meus pais sempre gostaram de viajar e de estimular o nosso conhecimento para outras culturas, outros povos, outras formas de pensar. A amiga onde fiquei também era muito aventureira, uma portuguesa que lá vivia e que costumava passar férias perto de nós, e que na altura deveria ter uns 30 anos, tinha duas gémeas de dois anos com quem eu brincava muito e a quem mudei muitas fraldas e dei muito colo.

Ora bem, tive então a oportunidade única de passar os dias úteis inteiros a passear por Londres, completamente sozinha, enquanto ela e o marido trabalhavam e as gémeas estavam no infantário. Por esse motivo, conheço tão bem aquela cidade!

Na véspera traçávamos o meu plano do dia seguinte - acompanhava a Ângela ao infantário onde ficavam as miúdas, ela seguia para o emprego e eu para o metro com destino ao "museu do dia", ou ao "shopping do dia", ou à "exposição do dia" ou ainda à "zona do dia". Dava-me o dinheiro para a viagem, a comida e algum para compras extra. Só tinha um compromisso - estar na dita paragem de metro às 5h30!

Imaginem a aventura, a liberdade e os riscos que eu corri - vi muitas pessoas do género destas, que na época era muito frequente,





mas nunca me aconteceu nenhuma desgraça! Estou aqui, não é?
Só me lembro de uma vez que fiquei sem dinheiro para o regresso no metro e nem tinha como telefonar, não se esqueçam que não havia telemóveis :)
Desenrasquei-me bem - fui falar com os guardas do metro, mostrei-lhes as moedas que tinha no bolso e expliquei que precisava de voltar para casa de uns amigos onde estava - deram-me a quantia que faltava e lá fui eu!

Ah, não vale rir muito do meu penteado... com um cabelo encaracolado como o meu, na altura era o melhor que se podia arranjar :))

10 comentários:

  1. Thanks for sharing some part of your life... 40 years old hey ??? Great age and it will get better.

    ResponderEliminar
  2. 40 anos? Tu não pareces nada ter 40 anos! Deve ser esse sorriso lindo que te faz parecer bem mais nova.

    Gostei muito de ler esta tua primeira aventura e aposto que também em vou deliciar com as seguintes :) Beijo grande!

    ResponderEliminar
  3. Ansiosamente à espera das restantes 39! Se for preciso alguma bolinha vermelha no canto superior direito, avisa! Beijocas grandes

    ResponderEliminar
  4. Pois é priminha, quase no 40.
    e que a gente continue a ver muitos e muitos, ainda me lembro da festa do teu 1º aniversário em casa dos teus Pais em Faro.
    Beijinhos Grandes

    ResponderEliminar
  5. Tão fixe, com essa idade poderes aproveitar uma oportunidade assim!

    Fico às espera das restantes 39 histórias :)

    ResponderEliminar
  6. superOhhhh !!! já ? ninguém diria, estás bem conservada... E que estejamos cá todos para ir festejando. Beijocas...
    P.S. Avisa quando vieres cá abaixo

    ResponderEliminar
  7. Thanks Célia, I hope it does getter better :)

    Meninas e meninos, primos, amigas e comadre: adorei a vossa visita, grande estreia para alguns :)

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  8. Tão nova e já tão viajada! Que sorte :)Conta-nos mais, sim?

    ResponderEliminar
  9. Que inveja! Quem me dera poder ficar um mês e meio no estrangeiro, ainda por cima com alojamento "grátis"
    A minha primeira aventura também foi Londres, com apenas 17 anos, decidi que queria ir lá antes de entrar para a faculdade. Comecei por passar um fim-de-semana em Dublin com o meu tio, a sua namorada e as minhas primas, depois eu e a prima que tem a minha idade seguimos para London City, ela ia estagiar e eu teria uma semana para passear e conhecer aquela cidade que sempre me fascinou.
    Também não me aconteceu nada, o mais cómico é que tive uma cena no metro igualzinha à sua! Tinha acabado de vir de Dublin, a C. foi directa para o escritório onde estava a estagiar e eu tive de apanhar o metro (com uma mala gigante atrás) para a casa onde ela estava hospedada (também emprestada por um amigo do pai dela, a meio da semana ele voltou e fomos para um hotel), ora eu só tinha euros comigo...e não havia multibanco no metro...virei-me para o senhor que estava à minha frente na fila, expliquei-lhe a minah situação e ele ofereceu-me, gentilmente, a quantia necessária para eu chegar ao meu destino. Há que ser desenrascado!

    ResponderEliminar
  10. Márcia - vou contando um pouco de cada vez, para não vos maçar :)

    Inês - Que bela surpresa! É verdade, ser desenrascado dá-nos capacidade de improviso e de superar dificuldades :)

    ResponderEliminar

Se estás aí, diz qualquer coisa, sou curiosa, gosto de saber o que pensas.
Bj