14.1.12

Casamento Real

No período que passei em "terras de sua majestade", houve um dia especial, foi um dia muito diferente para mim, e de grande festa para o país onde eu estava: um casamento real!

Os nossos amigos avisaram-me que no dia 23 de Julho iríamos fazer uma "excursão" de autocarro, até a uma praia na zona este de Inglaterra, porque seria feriado nacional. Casava-se o Príncipe André com uma ruiva cheia de energia conhecida por Fergie!

É verdade, eu estava lá!



Mas nesse dia, para nós, foi sinónimo de passeio rumo à primeira praia de areia escura que vi, Southend-on-Sea (ainda não tinha ido aos Açores nessa altura). E ao longo dos cerca de 70 kms que distam Londres de Southend on Sea, em todas as localidades em que passámos se viam belíssimas colchas nas janelas, nos balcões ou nas varandas das casas, a indicar que aquele era um dia de festa nacional! Algumas dessas colchas estavam acompanhadas de pequenas bandeiras nacionais, o que ainda conferia um mais alegre à ocasião :)


Naquela zona balnear onde fomos, vi pela primeira vez salas de jogo, com máquinas cheias de moedas, divididas em patamares que se moviam para trás e para a frente, empurrando algumas dessas moedas até que "por milagre" uma ou várias caíriam para convencer alguém que teria muita sorte ao jogo. 

Lembro-me de, na altura, ter ficado muito impressionada com o tipo de clientes que lá vi: senhoras já com alguma idade, sozinhas, na mão traziam copos de plástico atulhados com moedas - e elas estavam muito compenetradas na tarefa de os esvaziar, introduzindo moeda a moeda nas ditas máquinas, na esperança de sair de lá com o dobro ou o triplo da quantia!

Talvez por isso não goste de entrar nas salas de jogos dos casinos... acho que os jogadores ficam cegos com o dinheiro!


4 comentários:

  1. Eu podia ter escrito os 3 últimos parágrafos mas em Brigthon e em 1979.

    ResponderEliminar
  2. Curioso, eu odeio casinos e salas de jogo porque vi exactamente o mesmo, desde miúda, quando ia ao Casino de Alvor, onde o meu pai trabalhou!
    Mais uma história caricata :)

    ResponderEliminar
  3. Uau que experiência! Acho genial a ideia de se colocarem as colchas à janela, deve dar uma alegria e cor às ruas incomparáveis!
    Quanto às salas de jogo...no outro dia o meu namorado teve a ideia de irmos ao Casino ver se ganhávamos dinheiro para irmos jantar fora a um restaurante caro (claro que acabámos foi por perder 10€), mas também reparei nas pessoas que lá estavam e fez-me confusão os velhotes que por lá andavam, sozinhos, agarrados às máquinas... É mesmo assim que eles pretendem passar os últimos tempos das suas vidas? Se calhar não têm família nem amigos e por isso refugiam-se no dinheiro...não sei, mas tal como a Sofia fiquei a pensar naquelas pessoas

    ResponderEliminar
  4. Ana V. - fico à espera de ler a tua hstória em Brighton :)

    Naná - eu só gosto mesmo é de ver lá os espectáculos, ou entrar aqui no de Lisboa e beber uma caipirinha ao som de uma boa música!

    Inês - Gosto imenso de jogos de tabalueiro, de cartas e até de vêr as bolas a sair na roleta, mas nunca joguei a dinheiro e julgo que nunca o farei! E detesto máquinas tipo Jackpot, como as que existem nos cafés em Espanha! Mas cheguei a passar tardes inteiras em casa de máquinas, a jogar King Kong ou Bomb Jack, não sei se conheces... só pelo prazer de vencer mais uma etapa, mais um nível e menos 50$00, menos 100$00 :))

    ResponderEliminar

Se estás aí, diz qualquer coisa, sou curiosa, gosto de saber o que pensas.
Bj