20.1.10

Parabéns, Pai!


O meu Pai hoje faz anos! 68 anos!

Hoje não vivemos na mesma terra, nem sequer falamos todos os dias, às vezes nem sequer falamos todas as semanas... mas eu sei... e ele sabe... que gostamos muito um do outro!

O meu Pai é diferente dos outros pais que eu via em pequena, ele não estava sentado no sofá a lêr o jornal - o meu Pai vai à praça às compras, cozinha, passa a ferro, não há nada que ele não saiba fazer. E gosta das coisas feitas a tempo e horas, prepara tudo com grande antecedência.

O meu Pai tem vários hobbies - caça, pesca e golfe. Mas sua maior e mais antiga paixão é a caça. Lembro-me de ainda pequena gostar de estar perto dele quando enchia os cartuchos, com um balança com pesos pequeninos, chumbos, buchas e outros utensílios cujo nome não conheço. Alinhei muitas vezes com ele nas caçadas, cheguei a ir a Espanha no grupo dos caçadores. Gostava daquele ritual de acordar muito cedo, estar ao nascer do sol no silêncio do campo e ver os cães a "pararem" cada vez que sentiam um coelho.

Cheguei a pensar em tirar licença de caça, só para ter uma participação mais activa. Hoje penso que foi melhor não ter tirado, porque não tenho pontaria nenhuma, sabe Deus o que poderia ter acontecido.

Enquanto fui estudante universitária, vivia com ele em Lisboa e a minha Mãe estava em Portimão com o meu irmão. A família juntava-se ao fim-de-semana, nós descíamos ou eles subiam.

Nessa altura, fomos cúmplices de outras aventuras. Se ele era convidado para festas profissionais, eu também ia. Se havia bilhetes para ver o Benfica, lá ia eu também.
Chegámos a ir ao Porto os dois ver o Frank Sinatra!!!

Também tivemos as nossas turras, claro está, mas não fizeram mossa nenhuma.

Dele herdei muitas características:
ambos gostamos de um bom jogo de cartas,
de controlar os gastos,
de fazer viagens de carro quase sem falar uma palavra (momentos que faziam muita confusão à minha Mãe),
do Benfica e do Portimonense,
de alinhar com os amigos em qualquer patuscada,
de ir ao cinema,
de cães, especialmente cães de caça,
não gostamos de couves - nem do cheiro!,
de gente chata e curiosa como certas vizinhas que tivemos,
de esperar por gente que se atrasa sistematicamente.

Ah! E tanto um como outro temos sempre razão!

Parabéns, Pai!
Um beijinho grande

(O meu Pai a esta hora está a caminho de outra caçada - desta vez aos tordos em Serpa!)
Outra coisa! O cachecol é para ti!

3 comentários:

  1. hallo Ana Sofia!
    hab den geburtstag nicht vergessen, Herzlichen Glückwonsch und alles Liebe und Gute für deinen Vater!
    genieße die zeit mit ihm, aber Gott sei Dank gehst du mit ihm nicht auf die Jagd. Ich kann mich gut an Sagres erinnern, an die kleinen Vögel, nur weiß ich den namen nicht mehr, rolos oder so ähnlich. Aber kochen kann dein vater! Bussi!!!

    ResponderEliminar
  2. Nunca vos assaltou aquela ideia de saber que tipo de considerandos teceriam sobre nós? Mais, que tipo de coisas diriam de nós os nossos filhos?
    Pois eu já! Digamos que é um exercício engraçado, quase uma auto-avaliação, como se usa agora!
    Engraçado como coisas simples nos fazem grandes e nos tocam ao longo da nossa curta existência.
    Sorte e saber de quem escreveu e a quem se dirigiram tais palavras!
    Sorte também de quem leu!
    Um dia talvez me escrevam algo assim...
    Parabéns aos dois!
    tigusto62

    ResponderEliminar

Se estás aí, diz qualquer coisa, sou curiosa, gosto de saber o que pensas.
Bj